AS MINAS DE FERRO DE MONCORVO

UM POUCO DE HISTÓRIA

As minas de ferro de Moncorvo foram objecto de exploração primitiva desde a Idade do Ferro até ao fim do século XVIII. A primeira experiência de exploração proto-industrial decorreu na década de 1790 e, a partir dos anos 70 do século XIX, renovou--se o interesse pelas concessões mineiras de Moncorvo, chegando-se a registar 35 concessões. Em 1897 a maioria das concessões foi adquirida pela Companhia “Syndicat Franco-Iberique”, que deu início a “trabalhos de prospecção metódica e sistemática com 1396 análises químicas”.

Entre 1930 e 1934 foram abertas galerias na Mua, tendo sido extraídas 15.279 toneladas de minério, conforme registo do Boletim de Minas. Os trabalhos de prospecção e exploração da Companhia Mineira de Moncorvo continuaram até 1942. Depois da II Guerra Mundial as concessões desta empresa alemã foram arroladas pelo Governo Português e, a partir de 1957, aquela Companhia passou a ser gerida pela “Exploration & Bergbau”, do grupo Thyssen, assumindo a designação de Minacorvo, Lda.

Nesse ano foi construída a lavaria-piloto e, em 1976, a Minacorvo foi dissolvida e as suas concessões foram integradas na Ferrominas SARL, depois Ferrominas EP, terminando com a criação da EDM EP, a partir de 1986.

 

Entre 1951 e 1976 foram exportadas 1.796.535 toneladas de minério de ferro de Moncorvo.